domingo, 24 de agosto de 2008

Encerramento

E como a abertura, o encerramento foi emocionante.

Várias semelhanças com a abertura, contagem regressiva pontuada com fogos, como os representantes das etnias cantnado o hino chinês e percussão, mas agora com dois "tambores" voadores gigantes.
A grande quantidade de pessoas, coreografadas por meses, marcaram novamente o evento. Um circuito humano deu espaço para grandes rodas iluminadas, que circularam, lembrando as bicicletas que se faziam tão presentes na China antigamente.


A iluminação e a trilha sonora tiveram destaque.

Houve discurso positivista do presidente nacional e de agradecimento pelo presidente do COI.

Os atletas e bandeiras, entraram todos juntos. Com animação e bem mais rápido que na abertura. Todos misturados se posicionaram pelo estádio já formando uma miscelênea de povos, que será tão representado nos próximos jogos.

Houve a premiação da prova da maratona, a mais tradicional e por isso oferecida durante a cerimônia de encerramento.

Em seguida "God save the queen", o hino da Grâ Bretanha, já anunciando as Olimpíadas de 2012.
Um vídeo nos deu uma amostra do que se espera de Londres: muita cor, mistura de raças e culturas e muito pop (música e demais artes contemporâneas).

Um ônibus vermelho conecta o vídeo ao real. Atravessa o estádio simulando a Inglaterra. Pessoas nas ruas, guarda-chuvas ingleses em um ponto de ônibus. O ônibus para e uma criança sai lá de dentro, linkando a juventuda à cara da cidade. Ela volta pra dentro do ônibus e o segundo andar se abre, numa paisagem de Tundra, formando a silhueta de pontos turísticos da capital inglesa. Um palco hidraulico levanta com Jimmy Page e Leona Lewis, cantando Wholelotta Love, que levavantou o estádio.
Uma segunda plataforma se elevou com David Beckham, que chutou uma bola, iniciando os jogos, e fim de sua participação muda.

Plácido Domingo cantou com uma soprano chinesa, sendo uma das muitas participações internacionais do encerramento. Essa cerimônia foi bem menos nacionalista que a abertura.

Numa simulação de partida, atletas sobem uma escada de embarque em aviões. Imagens de todos os dias das olimpías são projetadas no estádio e assim, com a lembrança dos jogos, a chma se apaga.

Mas ela fica na lembrança, como a próxima coreografia demonstra. Uma torre humana simula o crepitar de uma chama, em seguida se forma o logo olímpico. Muito malabarismo, rapel e afins...

O show terminou com vários números musicais alegres e muitos fogos.


fotos do site: globo.com

Um comentário:

O pior que tá tendo disse...

acho desnecessário...