quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Diamantina - O coração de Minas bate aqui

Tá, é fato: não gosto de Carnaval... Mas amo uma festa!
Não aguentando ais ficar preso a Viçosa, aceitei um convite no ato. Fui visitar minah prima em Diamantina, exatamente nos 4 dias mais efervescentes daquele lugar.

Mas vamos com calma, porque até chegar lá foram 9 longas horas.
PQP, lugar longe aquele! 
Sai da Mata Atlântica e entrei no cerrado? Sai das verdes montanhas e me deparei com paredões de pedra? Sai dos meus hum,ildes 650m acima do nível do mar para quase 1500m.

Na manhã de sábado lá fomos nós rumo a Diamantina. Pegamos a BR 040 rumo a BH, e tudo bem. Quando chegamos próximo a Sete Lagoas: O maior congestionamento já visto por esses olhos que a terra há de comer, e lamber os beiços.

Numa sacada rápida, saimos da rodovia e entramos dentro de Sete Lagoas, tentnado sair pouco mais a frente na mesma estrada... quando vem a notícia: Está congestionado até Paraopeba. Um trecho a ser percorrido em 1hr levaria mais de 6!
Sob clima tenso eis o salvador da pátria: O Guia 4 Rodas (pausa para reverência e agradecimentos a todos que anonimamente salvam viagens pelo Brasil afora).
Pegamos 30Km de estrada de terra até Araçaí (pausa para choque: Araçaí onde?)
Estive em Araçari. Lembrei-me de você

Joguei no Google e: Araçaí é um município de MG com aproximadamente  2231 habitantes que vive da pecuária e faz parte do Circuito Guimarães Rosa de Turismo, já que fica próximo à cidade natal deste escritor.

E pra lá fomos nós, de Araçaí para Cordisburgo em 10 km de asfalto. Saindo da cidade famosa pela Gruta de Maquiné (pausa nostálgica: Eu fui lá em excursão com a escola na 6ª série), pegamos outra estrada de chão, mais 40Km, rumo a Curvelo.

Há males que vem para bem. Apesar dos caminhos desconhecidos, gastamos o mesmo tempo que levaríamos na rodovia, sem o congestionamento (me solidarizo com quem não teve a mesma idéia).

De Curvelo pra Diamantina foi rápido... e na noite de sábado cheguei na casa da minha prima. Ainda receoso e louco pra conhecer esse Patrimônio da Humanidade.
No resto da noite ficamos em casa, afinal 9hr de viagem cansa qualquer um.

Domingo de manhã - Um tour pela cidade.
O centro histórico tombado não é separado do resto da cidade, então há construções novas junto das antigas. Uma mistura que causa certo desgosto. Não há edificações com mais de dois pavimentos. As ruas são calçadas com pedras chatas e são muito íngremes. Que lugar horrével pra fazer uma cidade, mas a vista é linda. Os paredões rochosos que circundam a cidade emolduram o casario colonial..., ou seria o casario que é fundo para a montanha?
Já conheço dois Patrimônios da Humanidade. Falta o santuário de Bom Jesus em Congonhas

Andando pelas ruas percebi os resquícios da noite anterior. Com shows começando as 17hr e terminando as 10hr, haja limpeza.
Limpeza essa que me chamou a atenção. Toda manhã as ruas eram lavadas com jatos d'água. Um cheiro horrível de xixi. Nunca se sabia se estava pisando numa poça de água ou de um alguém.

Depois da volta no centro, fomos almoçar no Parque Estadual do Biribiri (pois é, isso existe). Um lugar lindo, com paredões de pedra, cursos d'água e uma vegetação morro de cerrado. 
No meio do parque tem uma vila que atendia a uma antiga fábrica textil, no início do século XX, que literalmente ficava no meio do nada. Hoje, desativada, o conjunto atrai visitantes que podem tomar banho nas cachoeiras.

Chegamos com dia azul e saímos com céu cinza. Faltou um pouco de vermelho, roxo, amarelo...

Poder até poderia, mas estava tudo tão cheio: restaurante, estacionamento, rio... Parece que todo mundo teve a idéia de ir passear com a família no domingo de carnaval.

Depois de um dia turístico fomos pra casa... Noite de Oscar!
Tá, eu sei: com carnaval rolando a toda você ainda pensa em Oscar? Mas é mais forte que eu! Não tenho culpa dessa infame coincidência de datas.
Vi Kate ganhar seu esperado Oscar... e inda tinha dois dias pela frente.

Terça de manhã fomos ao Cruzeiro. O ponto mais alto da cidade. De um lado as pedras e do outro Diamantina. 
Sol, vento e uma vista que faz valer a pena ter contruído uma cidade tão íngreme.

E finalmente: o carnaval!
Batcaverna seguido de Bartucada.
O primeiro visto da sacada de um restaurante. Espaço, comida e banheiros limpos - quer coisa melhor?

O resto é história...
Muita gente bêbada, muita música, horas de show...
Conversas engraçadas, visões nojentas...
... e uma segunda e terça a noite divertidíssimas.

Sem muvuca

Agora quero me preparar melhor, viajar sem ser de sopetão, arrumar mais gente conhecida e viajar 9hr rumo ao lugar onde "O coração de Minas bate" - como diria o slogan do carnaval.

Hoje foi um dia de volta pra casa. Saí as 7hr de lá e chegei 20hr aqui.
Posso comprar minha passagem pra ano que vem de novo?

5 comentários:

Mary Azevedo disse...

Nossa, eu fugindo da folia e vc correndo pra ela...
Quanta animação!

O pior que tá tendo disse...

Estive em Arinos, lembrei-me de você!

Robb' disse...

9 horas de viagem?
Caramba! Haja disposição!!!

Guia 4 rodas salvando vidas em Minas! hahaha

Lois ficou todo bobo com as casinhas históricas da cidade né? Nem gosta disso... hehehe

E é óbvio que vc não ia desligar do Oscar, mesmo num feriadão de Carnaval...

E já tá todo saidinho pra ano que vem....

Leônidas Pires disse...

eh loooiss... nao vai colocar ae q entornou todas nao?! rsrsrsrs...

Fernanda disse...

Quem te viu quem te vê em Luiz!!! Abalando Diamantina!!!!huahuahuahau