terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Filmes vistos pra começar o ano

O ano já começou e como toda férias que se prese tem de ter muito filme. Tá que não chega a ser um por dia, mas já dá pra começar o embalo.


O Disfarce

Uma comédia romântica, co-produção chilena, com a Bárbara Mori! Atrizes de novela mexicana, assim como as nossas, também fazem cinema.

Depois de humilhada pelo noivo Amanda se muda para o interior e recomeça a vida como uma mulher feia, para tentar afastar os homens. Conhece então o conquistador Marcelo e resolve fazê-lo sofre para se vingar dos homens, até que ela cai em seu própio jogo.

Uma história simples para se ver no momento livre.



Nunca é tarde para amar

Comédia romântica que se passa nos bastidores de uma série de tv. Faz piadas com o estilo americano de séries teen e tem diálogos que tentam ser sagazes entre mãe e filha.

Uma mulher em torno dos 40 anos se apaixona por um homem mais jovem, o que a coloca em dúvida sobre se deve manter o relacionamento.

Parecia melhor mas é divertido.


Mulheres Perfeitas

Eu vi na Globo, esse filme não tão novo, mas inédito na tv.Um remake de outro filme de mesmo título, mistura drama, comédia e ficção científica.

Tudo é meio exagerado pra dar o tom de ficção, mas eles erram a mão. Uma comédia com grande elenco mas sem graça.
Casal vai morar em um condomínio "perfeito", um local de encanto, mas logo começam a perceber que pode haver algo de errado com as mulheres dali.
Achei que seria bom, mas me decepcionei.

Piratas do Caribe: no fim do mundo
Um dos finais de trilogia mais aguardados de 2007 que mostra como o Jonny Deep é bom, mais uma vez.

Um monte de personagens, várias subtramas, muitas traições contribuem pra deixar o filme longo e muito confuso. Eu tive de pausar várias vezes pra organizar na minha cabeça a história até aquele ponto.
Will, Elizabeth e o capitão Barbossa vão a Cingapura, em busca de um mapa que possibilite o resgate do capitão Jack Sparrow, no "fim do mundo".
Cheio de cenas de ação e com uma história boa, pena que é longo.

Paris, te amo

Em francês é mais bonito: Paris, Je t'aime.

18 curtas com temas diversos, com diretores e atores conhecidos, histórias que te deixam confuso ou emocionado, tudo acontecendo em Paris. Diferentes visões da cidade e das pessoas que a habitam. O último curta, antes da junção final, é emocionante, porque resume a influência de Paris sobre as pessoas.

Meu favorito é o que tem a garota mulçumana. Veja e me conte qual é seu curta favorito.




Um comentário:

Mariana disse...

Vc axa que nunca é tarde para amar seria melhor?

oh! achei q ele ia ser fraco (no máximo + ou -) e axei mto bom. qro ver de novo inclusive.

mulheres perfeitas é muuuito fraco. mas pra supercine foi de bom tamanho.
não foi uma perda total de tempo, nem nada.

e o curta da menina mulçumana é o melhor de Paris, Je T'aime. apesar do ultimo ser realmente mto bom.