quarta-feira, 9 de abril de 2008

Se arrependimento matasse... eu estaria vivíssimo!


Pegamos um ônibus em frente ao hotel. Passamos pela (mal)cheirosa Marginal. Estava com trânsito intenso, mas estava fluindo. Alguém sabia onde teríamos que parar? Talvez. Isso é tão tranqüilizador.

Enquanto carros importados paravam e manobristas estacionavam os automóveis, descemos do ônibus.

O foyer estava lotado. Pessoas tomando pro-seco... Faltava um tempo para começar a peça e tínhamos de fazer um pouco de cena: moço quanto éo copo de wisky? 17 reais. E a taça de Champagne? 19 reais... Me vê um Capuccino por favor!

Depois do segundo sinal fomos aos nossos lugares. A platéia superior 2. Os lugares mais baratos, é claro, mas pelo menos subimos as escadas.
Nossos lugares ficavam centralizados com o palco, mas a visão era de cima. Apesar de não ser a melhor visada, não tive do que reclamar.
O musical foi lindo. Uma história conhecida, um “Romeu e Julieta” moderno. Música e dança, iluminação e cenários com efeitos cênicos muito legais.

Rafaella e eu tentando interagir com o cartaz


Assim que a peça acabou saímos às pressas para pegar o último ônibus de volta. Tivemos sorte, pois ele estava passando e tivemos de pedir pra parar. O trânsito estava mais tranqüilo. Os prédios iluminados, hotéis se destacavam, lojas famosas passavam pela janela. Descemos numa rua vazia para fazer baldeação. Medo! Levou uns 3 minutos pro outro ônibus passar. Parece pouco, mas dava pra fazer um miojo ou fazerem outra coisa conosco.

Descemos na porta do hotel de novo. Achei o máximo andar em transporte eficiente.

Já era quase uma da manhã quando chego ao quarto pra saber o que o pessoal tinha feito enquanto estávamos fora. Alguns caminharam pela Paulista, outros foram ao bar, mas o grande evento foi: atriz da Globo hospedada no quarto ao lado.

Não sei se a gente que estava bem, ou ela que estava mal por estar naquele hotel. Só sei que rendeu o maior buxixo.

Fiquei sabendo que teve gente que entrou no elevador com ela. Teve gente que não parava de olhar. Teve gente que bateu na porta e saiu correndo e fiquei até sabendo que durante a madrugada teve bilhetinho pra ela. Coitada, ser pública dá trabalho. Teve até de chamar o segurança.

Perdi toda essas cenas, mas foi bizarro pensar que no quarto ao lado tinha alguém que eu sabia quem era e não vi. O melhor foi ver TV até dormir mesmo, porque o dia seguinte seria longo...

2 comentários:

Racchel disse...

Bom... contrariada e obrigada fui eu para a night paulistana sexta... afinal eu estava com fome e havia promessa de comes e bebes...
-onde vamos?!...
- o alexandre conhece barzinhos legais, vamo seguir ele...
num barzinho lega, atras do masp, estava titia e cia...
- vamo ficar aki...
- garçom tem lugar?
- preciso conferir...
enquanto isso d2 é entrevistado por uma radialista e nos gritamos qdo ele citou viçosa e minas...
- nada de lugar...
- vamo pra outro lugar...
atravessamos a paulista...
- olha o mc donald vamo parar...
- não a gente quer buteco...
- olha o bobys... vamo parar?!
- não a gente quer buteco...
chegamos na avenida augusta... 1, 2, 3, 4 butecos...
- alexandre, ta muito longe do hotel... a gente ta cansado, com fome e amanha temos q acordar cedo... vamo pra um lugar mais perto do hotel msm...
- ué, mas vcs querem comer?!
- muuuuuito...
- ahhhh, pensei q vcs so queriam beber, tava levando vcs pra um buteco de bebida barata...
- então vamo voltar...
- não vamo pro buteco...
- então ta... quem quer comer volta e quem quer buteco segue...
- mc donald aberto, vamo ou nao?!
- sim...
- não...
- entao ta... quem quer comer aki pede pra viagem e vamo todo mundo pro hotel...
- isso!
- na frente do hotel tem uma lanchonete, vamo comer la...
alguns c mc donald, outros na lanchonete, outros no posto bebendo cerveja...
- agora vamo pro hotel neh...
- isso!
- então gente... boa noite...
- boa noite, até amanhã!!!

Anônimo disse...

ahhh.. eu andei d elevador com a atriz Global!! =]

comédia!!

beijos
Líllian